Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

05/02/2020

Programa Mulheres Cooperativistas formou mais de 300 mulheres em 2019

“Entendi bem o que é cooperativismo e isso mudou muita coisa na minha vida. Esse programa veio para abrir novos caminhos nas nossas vidas e nos nossos trabalhos”. Depoimentos como o da cooperada da Coopervil, Maristela Lisot, repletos de emoção e gratidão, são frequentes entre mulheres que passam pela formação do Programa Mulheres Cooperativistas. 



Em 2019, o Programa, desenvolvido pelo SESCOOP/SC, transformou a vida de 354 mulheres em 12 cooperativas catarinenses. A formação é dividida em seis módulos e tem o objetivo de promover a educação cooperativista e, consequentemente, a participação feminina no quadro social das cooperativas. Além disso, consegue fomentar o protagonismo e incentivar a liderança feminina. 



Dados da OCESC (Organização das Cooperativas o Estado de Santa Catarina) revelam que, de fato, há uma expressiva participação feminina no cooperativismo catarinense. Afinal, 936.597 cooperados são mulheres, número que equivale a 38% do total. “Reconhecemos a importância da participação feminina nas cooperativas de Santa Catarina, seja na área produtiva ou administrativa. Neste sentido, o Programa Mulheres Cooperativistas atua para integrar as mulheres no dia a dia das cooperativas e torná-las mais atuantes. Isto tem dado resultados muito positivos para o crescimento das cooperativas”, destaca Luiz Vicente Suzin, Presidente do SESCOOP/SC.



Em 2019, as cooperativas participantes foram: Auriverde, Cooperitaipu, Cooperalfa, Cooperja, Cooperjuriti, Coopervil/Sicoob Vale do Vinho, Cravil, Sicoob Crediaraucária, Sicoob Creditapiranga e Sicoob Credivale. João Frischembruder, vice-presidente e coordenador de Promoção Social no Sicoob Crediaraucária, acredita que a experiência superou as expectativas: “Quando a gente trabalha com os dois lados, homem e mulher, temos uma visão mais ampla e conseguimos fazer um trabalho mais cooperativo”. A cooperativa formou sua primeira turma do Programa em julho, entregando o diploma a 27 mulheres. Após a formação, um núcleo feminino é constituído em cada cooperativa para continuar estimulando a participação feminina. 



Para as mulheres formadas, além de aprimorar os conhecimentos sobre o sistema cooperativista, o Programa promove o autoconhecimento e a melhora nas relações familiares. “O Programa trabalha bastante o pessoal, o ser humano. Aprendemos como é importante se conhecer e se valorizar e, quando você está bem consigo, você trabalha mais os negócios. Eu tive uma mudança significativa no meu posicionamento”, enfatiza Mirele Ritter Grutzmann, comerciante e cooperada do Sicoob Creditapiranga, que recebeu o diploma em outubro. 




Fonte: Assessoria de Comunicação Interna Sistema OCESC


..