Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

24/10/2019

Seminário do SESCOOP/SC orienta profissionais dos Departamentos Técnicos das cooperativas catarinenses

Peste suína clássica (PSC), peste suína africana (PSA), monitoramento dessas doenças no plantel catarinense, a importância do médico veterinário na sanidade animal na perspectiva do produto e da produção, qualidade do leite e impactos das Instruções Normativas 76 e 77 na recepção e comercialização do leite. Estes foram os temas abordados no Seminário de Departamentos Técnicos, Médicos Veterinários, Zootecnistas e Técnicos em Agropecuária promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP/SC), nesta semana, em Chapecó.



O Seminário teve como objetivos proporcionar a reflexão de temas técnicos em evidência para a categoria, integrar os profissionais das cooperativas e aprimorar os conhecimentos e os manejos de técnicas adequadas para a melhoria da produção. De acordo com o Coordenador da Formação Profissional do SESCOOP/SC, Elvio Silveira, os seminários contemplam todas as áreas de atuação das cooperativas, com a promoção de pelo menos um evento por ano com assuntos relevantes e que auxiliam na execução do trabalho dos profissionais participantes.



A questão da peste suína foi tratada pela Coordenadora Estadual de Sanidade Suídea da Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina), Sabrina Tavares. Santa Catarina é o maior produtor de suínos do Brasil. Segundo Sabrina, o Estado ampliou a fiscalização dos postos de controle e as orientações aos médicos veterinários e aos produtores rurais. “Mesmo distante do nosso território, redobramos a atenção para evitar o ingresso da doença no território catarinense, porque o impacto seria avassalador”, comentou. Sabrina explicou que as ações de vigilância da PSC são realizadas pelo Estado em parceria com a iniciativa privada, os médicos veterinários e os produtores rurais com o intuito de salvaguardar o território catarinense da doença. 



O Médico Veterinário e Gerente de Exportações da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Dilvo Casagranda, explanou sobre a importância do médico veterinário neste contexto, destacando que a questão sanitária é o passaporte de entrada em todos os mercados mundiais e se reflete na comercialização da produção originada nas propriedades dos produtores do Estado. “A preocupação é elevada considerando principalmente dois fatores: o desastre sanitário que ocorreu na Ásia, mais especificamente na China, e que gerou a escassez de carne e a inserção da PSC no território brasileiro”, analisou ao ponderar que o aspecto positivo é a oportunidade do Brasil ampliar as exportações aos mercados afetados com a doença.



Ainda entre as temáticas debatidas no Seminário estiveram "Os impactos das Instruções Normativas 76 e 77 na recepção e comercialização do leite",  apresentada pelo Diretor de Pesquisas da Epagri/SC Wagner Miranda Portes, e "A produção e qualidade do leite”, abordada pelo Gerente de Política Leiteira da Cooperativa Central Aurora Alimentos Selvino Geisel.



No encerramento, o Administrador, com aperfeiçoamento profissional em coach, líder coach e análise comportamental Sandro Rodrigo Libardoni palestrou sobre “Felicidade no trabalho também é qualidade de vida”, falando sobre o relacionamento interpessoal, o equilíbrio emocional, a motivação e a administração do tempo.




Fonte: Assessoria de Imprensa


..